Ambiente de trabalho pós-pandemia: escritório ou home office?

Em 2020, com a declaração de pandemia pela Organização Mundial da Saúde, o ambiente de trabalho foi radicalmente alterado, visto que a adaptação ao home office e à hibridização passaram de diferenciais para elementos essenciais para a sobrevivência dos negócios. No Brasil, a pesquisa FIA Employee Experience (FEEx), realizada pela Fundação Instituto de Administração (FIA) com 213 empresas em todo o território nacional, mostrou que cerca de 90% delas adotaram, em alguma escala, o trabalho remoto. 

Entretanto, o gradativo sucesso das medidas restritivas e da vacinação pôs, novamente, em discussão o futuro do ambiente de trabalho. Apesar dos desafios do home office, esse modelo de trabalho agradou grande parcela da população, que viu uma oportunidade para menos estresse, mais conforto e, também, maior economia. Por outro lado, é fato que as empresas têm entrado em dúvida sobre se tais benefícios identificados pelo trabalhador são, de fato, revertidos em ganhos ao empregador, como produtividade e seriedade. Nesse cenário, algumas organizações pioneiras no mercado de qualidade de vida no trabalho, como Google e Facebook, já mostraram a sua indisposição de flexibilizar por completo sua cadeia produtiva, preferindo manter o equilíbrio entre o escritório e trabalho remoto. 

É preciso deixar claro que não existe um regime de trabalho ideal padrão, pois cada modelo de negócio e nicho de mercado possui suas especificidades, o que pode favorecer uma ou outra estratégia. Para auxiliar sua empresa a tomar a melhor decisão a esse respeito, pode-se considerar os seguintes aspectos: 

Home office: 

Regime de trabalho remoto que oferece aos adeptos uma oportunidade de maior economia de tempo, visto que poupa-se aquele despendido no deslocamento para o trabalho; e de dinheiro, já que elimina-se gastos, como combustível. Além disso, o home office possibilita também maior conforto e flexibilidade de horários. Em contrapartida, essa forma de trabalho traz um maior isolamento social, pois não há contato pessoal com colegas de trabalho, além de impor mais distrações, especialmente familiares, e uma maior dificuldade de se “desconectar do trabalho”, fenômeno conhecido como full time job

Escritório: 

Forma de trabalho mais tradicional, que implica na manutenção de um ambiente físico fixo. É conhecido por impor maior responsabilidade e formalidade ao trabalho; mas, possibilita um contato mais próximo entre colegas, além da determinação de um ambiente próprio para questões de trabalho, o que facilita a separação entre o pessoal e o profissional. 

A partir disso, é possível fazer um balanceamento entre as vantagens e desvantagens para, por fim, definir a melhor solução. Vale ressaltar que existe, ainda, a combinação entre esses dois regimes de trabalho, conceito conhecido como hibridização do trabalho. 

A GCS analisa o negócio de seus clientes em todos os seus processos para assim encontrar áreas de oportunidade que auxiliem a aumentar a eficiência e os lucros. Conte com a nossa equipe!

Artigo de Pedro Yunes, estagiário na GCS Consultoria & Auditoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *